Um dos pilares da confeitaria é aliar sabor e aparência. Da arquitetura é criar beleza, mas que seja estável. A ucraniana Dianara Kasko uniu esses pilares através da sua formação em arquitetura com sua paixão pela confeitaria.
Levando em conta que o produto final não precisa apenas ser comestível, mas também saboroso, ela equilibra fatores como forma, volume, composição, proporção, cores e textura conectando com maestria arquitetura, design e confeitaria.
Quando tudo na confeitaria parece se igualar e cair na mesmice, Kasko chega preenchendo algumas lacunas com beleza e originalidade, dizendo que nem tudo ainda foi feito e que ela ainda tem muito o que mostrar!

dinara-1

Quem é Dinara Kasko e como o seu interesse pela confeitaria começou?

Olá! Meu nome é Dinara Kasko. Sou da Ucrânia. Eu comecei a cozinhar como a maioria das donas de casa, alguns bolos e tortas bem caseiros, e isso rapidamente se tornou minha paixão.
Eu sou formada em arquitetura pela University of Architecture and Design e trabalhei como arquiteta e designer 3D por muitos anos. Logo eu engravidei e tive que sair de licença maternidade. Passei a ter mais tempo livre e comecei a estudar confeitaria em casa, na minha pequena cozinha. Foi quando decidi fazer alguns cursos com chefes profissionais.

A cada dia eu ganhava mais experiência, até que a confeitaria se tornou meu maior interesse e paixão.

A confeitaria passou então a ser o meu trabalho. Recebo várias ofertas do mundo todo: cursos, palestras, ofertas de trabalho. Eu tenho tido muitos pedidos de para dar aula, então passei a viajar bastante com minhas aulas. Também presto consultorias a restaurantes e desenvolvo sobremesas para eles. Talvez no futuro, quem sabe, eu decida abrir minha própria confeitaria.

De onde surgiu a ideia para criar seus moldes?

Do momento que eu entrei na pâtisserie eu decidi tentar fazer algo novo. Eu percebi que a aparência é algo tão importante quanto o sabor.

Eu comecei fazendo uma serie de sobremesas utilizando formas geométricas simples sem nenhuma cor ou decoração. Nem parecia algo comestível, mas eu adorei! Eu gostei tanto do resultado que decidi fazer mais. Então passei a desenvolver os meus próprios moldes. Eu trabalhei com 3DsMax e não foi um grande problema para mim fazer alguns moldes 3D. Com isso eu descobri novas possibilidades e meus seguidores gostaram muito disso.

3
Careme foi um dos grandes arquitetos da confeitaria, construindo e criando esculturas comestíveis cheias de detalhamento, sem moldes! Você acha que estamos perdendo estas habilidades e por isso precisamos de moldes para tornar nossos doces bonitos e interessantes?

Não acho que perdemos. Hoje os chocolatiers fazem esculturas incríveis com chocolate e manteiga de cacau, muito interessantes e complexas. Eu adoraria estudar essas técnicas também.

O que a inspira? Onde você busca inspiração para desenvolver seu trabalho?

Eu me inspiro na arquitetura moderna, na arte, na natureza e em qualquer objeto que esteja ao meu redor. Eu tenho um interesse muito grande em diferentes métodos e geometrias dos princípios da construção. Algumas vezes a ideia apenas aparece, outras vezes é um processo bem longo. Agora estou procurando por novos formatos, sabores e continuo estudando confeitaria.

Como funciona seu processo de criação?

Cada criação de um bolo ou sobremesa começa de um desenvolvimento de design: tenho a inspiração, desenvolvo o formato e alio ao meu próprio estilo. Eu faço maquetes, pondero toda a parte técnica e aparência. Quando toda minha futura forma está criada eu implemento o projeto.
Em termos dos meus moldes, eu primeiro faço o projeto no computador, desenvolvo as escalas, proporções, vario a cor, textura, etc. O próximo passo é imprimir em 3D e analisar o pós-processo. E aí o molde está formado!
Eu comecei recentemente a trabalhar com a Silikomart, que gostou muito dos meus moldes e decidiu fazer uma grande produção deles. O molde “Bubbles” vai estar à venda até o fim do ano.

2
Existem limites para o seu trabalho ou tudo é possível?

Claro! É impossível criar qualquer formato para a confeitaria. Hoje, com ajuda da impressora 3D nós podemos sim criar qualquer formato, basta deixar a imaginação tomar conta. Novos materiais e tecnologias tornam possível a criação de qualquer ideia em um processo criativo. Mas na confeitaria, antes de tudo, há limites impostos pelas propriedades dos materiais. Mais que isso, o fator principal é que o produto precisa ser comestível e gostoso. Entretanto, podemos sempre aproveitar alguma ideia de outras artes.

Qual foi seu meio trabalho até agora?

Para mim foi participar da revista So Good. Eu escreveram um artigo sobre mim e então, após a entrevista, decidiram colocar uma de minhas criações na capa!

Eu não consegui acreditar, uma garota comum, amadora, estaria na revista entre profissionais famosos no mundo todo. Eu fiquei chocada quando eles me disseram que meu bolo iria sair na capa!

Você conhece a confeitaria brasileira ou algum de nossos chefes?

Infelizmente não. Mas estou recebendo muitas propostas de aulas para o Rio de Janeiro.

Responda com uma palavra!

Um sabor: maracujá

Uma memória: viagens

Um sonho: construir uma grande família

A confeitaria é: minha vida

Quem é Dinara? Uma pessoa criativa
Dinara, obrigada pela entrevista, pela atenção. Desejo um caminho cheio de prosperidade! E espero encontra-la logo logo aqui pelo Brasil!!! 
Quem quiser te encontrar pelas redes sociais, saber mais sobre seu trabalho, quais os contatos?

Facebook: /dinarakasko  Instagram: @dinarakasko
site: dinarakasko.com

fotos: Dinara Kasko / divulgação