Originária da Ásia Ocidental a maçã tem sido cultivada há milhares de anos na Ásia e Europa. Foi levada a América do Norte pelos colonizadores europeus e chegou no Brasil em 1926 pelas mãos do fruticultor Batista Bigneti.

Apesar de não ser uma fruta nativa brasileira, somos o 9° maior produtor mundial (mesmo sem termos o clima temperado necessário para cultivo), e um grande consumidor. A maçã é uma das frutas com presença garantida na lancheira de crianças e adultos e na fruteira dos brasileiros – afinal ela é fácil de transportar e, se bem conservada, demora a estragar.

É uma das frutas que marcam a história da humanidade, presente na mitologia e religiões de muitas culturas, é o fruto proibido que expulsou Adão e Eva do paraíso (mesmo que não exista uma especificação sobre o fruto no livro de Génesis); é considerada, desde a Grécia Antiga, um símbolo de amor e sedução; deu a Issac Newton a ciência da força da gravidade e foi responsável pelo sono profundo de Branca de Neve. É um importante símbolo na mesa do Rosh Hashaná e, na mitologia nórdica, a deusa Iðunn é retratada na Prosa Edda (escrita no século XIII por Snorri Sturluson) como a fornecedora de maçãs para deuses que lhes dão a juventude eterna.

A maçã possui características superpoderosas quando o assunto são benefícios à saúde – ela ajuda a emagrecer, diminui as taxas de colesterol ruim, tem ação detergente que afasta o mau hálito e combate doenças como câncer e asma. Já ouviu o ditado :”uma maçã por dia mantém o médico distante?” Pois ela tem seu fundo de verdade, e além disso tudo, a casca da maçã é rica em fibras e vitamina C e possui polpa cheia de minerais, como cálcio e fósforo.

tipos

Entre as tantas variedades pelo mundo, no Brasil as mais encontradas e consumidas são a Gala, Fuji, Red, Argentina, Pink Lady e Granny Smith. Mesmo tendo uma pequena variedade de maçãs é possível trabalhar com características únicas e que vão influenciar significamente no preparo de seus doces. Por isso é importante conhecer especificamente cada tipo de maçã para usar suas particularidades a favor de suas produções!

Para escolha, sempre prefira as maçãs duras, lisas e evite frutos amassados. Para que se mantenham frescas e com o mesmo valor nutritivo, é importante mantê-las sob refrigeração, já que as maçãs guardadas fora da geladeira tendem a ficar farinhentas.

 granny smith

Granny Smith: descoberta em 1868 na Austrália, por Maria Ann Smith. A muda (malus domestica vs malus sylvestris) cresceu por acaso no clima úmido e quase subtropical de Sydney.

Essa variedade é crocante, levemente amarga e possui bastante suco. É perfeita para compor saladas (agrega textura e frescor) – já que após cortada mantém sua coloração branca (por conta de sua elevada acidez) e é uma ótima opção para sobremesas, podendo ser utilizada com maçãs mais doces para balancear a acidez.

Pink lady

Pink Lady™: é uma seleção extremamente exigente de maçãs da variedade Cripps Pink. Tem nuances cor-de-rosa sobre uma base amarela esverdeada. Conhecida como a rainha das maçãs, é crocante e tem uma polpa densa e firme, de um excelente e quase efervescente sabor.

Possui alto teor de açúcar o que a torna perfeita para o preparo de tortas junto com a variedade Granny Smith. Apesar de ser doce apresenta uma acidez leve importante para a composição de pratos doces.

gala

Gala: descoberta no Canadá é considerada uma das melhores opções para comer direto do pé. As maçãs Gala são pequenas e têm uma casca bem fina. Sua base é vermelha e possui algumas misturas de verde e amarelo. No quesito sabor, elas possuem um leve toque de baunilha. Embora a Gala seja muito boa para comer sozinha, ela também é excelente para saladas e molhos. Para sobremesas uma boa opção é assa-la inteira com especiarias (canela e noz moscada são especiarias coringa para maçãs) e servir com um refrescante sorvete!

fuji

Fuji: é um cruzamento entre a maça Red e a Ralls. Foi introduzida no Japão em 1962 e nomeada em homenagem ao Monte Fuji. É uma maçã firme, crocante, de textura fina e sabor picante, alto teor de açúcar e baixo teor de acidez. A casca varia entre o verde-amarelado com manchas vermelhas e o vermelho vivo.

É uma variedade conhecida no mundo todo tendo, portanto, muitos usos, podendo ser comida ao natural, ou utilizada em bebidas alcoólicas como sidra ou Calvados.

red

Argentina (ou Red Delicious): originárias do Peru e do Iowa é uma das mais conhecidas e cultivadas em toda a América. Embora tenha uma aparência esplendida é uma das variedades de sabor mais ameno e casca amarga. De polpa bem branca, quando madura esfarela da boca. Ótima para geleias, molhos e purês.

braeburn

 

Braeburn: descoberta em 1952 pelo agricultor O. Moran, na Nova Zelândia, é uma das mais tradicionais no mercado. Sua casca é facilmente identificável, pois apresenta uma série de listras laranjas e vermelhas em um fundo verde ou amarelo. Além disso, possui um sabor doce e picante. Possui pouco suco o que a torna uma ótima opção para o preparo de tortas.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os tipos de maçãs mais comuns no Brasil, que tal testar algumas receitas?