Buttermilk, leitelho ou soro de leite coalhado é um líquido ácido obtido como resíduo da produção de manteiga. Hoje em dia o buttermilk é produzido industrialmente através de leite desnatado, ou semidesnatado, acrescentados de uma cultura de bactérias lácticas, formando um produto pobre em gorduras e calorias, mas que mantém seu tradicional sabor ácido e sua textura cremosa.

Originalmente o leitelho é produzido enquanto a manteiga é feita. O leite é naturalmente acidificado pelas bactérias durante sua agitação, promovendo um líquido de sabor ácido e naturalmente cheio de nutrientes. Ao separar esse líquido da manteiga, os produtores ao invés de descarta-lo passaram a utiliza-lo como bebida, fermento de pão e subproduto para outros produtos de panificação, aproveitando a acidez do leitelho para garantir um sabor levemente ácido e uma textura mais macia.

Apesar do nome ser associado a um produto rico e gorduroso, ele é pobre em gorduras e calorias, mas rico em nutrientes como  proteínas e cálcio, possuindo 280mg por 1 xícara do produto. A sua acidez quando combinada ao bicarbonato de sódio, como no caso do bolo Red Velvet, garante uma textura úmida, aveludada e mais saborosa, e em alguns casos, pode ser substituinte e também substituído pelo iogurte misturado com um pouco de água (a cada ¾ xícara (chá) de iogurte junte ¼ xícara (chá) de água filtrada ou a cada 2/3 de xícara (chá) de iogurte acrescente 1/3 xícara (chá) de leite desnatado).

Ainda, você pode produzir o buttermilk por um método caseiro, acrescentando a cada 1 xícara (chá) / 240mL de leite desnatado ou semi desnatado, 1 colher (sopa) / 15mL de suco de limão ou vinagre ou, 1 colher (chá)/ 5g de cremor tartáro. Deixe repousar por 10 minutos e então, utilize como substituto ao buttermilk tradicional, mas já aviso, ele não terá a cremosidade do produto “original”.

 Além de doces e bolos o buttermilk age como amaciante em carnes e aves, acrescenta cremosidade (sem aumentar as calorias) em sopas e molhos, mas deve ser utilizado com cuidado. Quando aquecido, por conta de seu baixo teor de gordura, ele pode talhar, e por essa razão sempre deve ser adicionado no final da preparação.

IMG_1174

versão em pó que pode ser trazida na bagagem!!!

Dificilmente encontramos buttermilk no Brasil (a globalização da cozinha ainda está incompleta por aqui), em alguns casos você pode ter a sorte de encontra-lo na Casa Santa Luzia, em São Paulo, e quando encontrar compre tudo! Isso mesmo! Compre tudo e CONGELE! Chegando em casa porcione de acordo com a quantidade que utilizará com mais frequência e congele. Confie em mim, pode congelar! O buttermilk se conserva perfeitamente e não modifica suas propriedades quando descongelado; além disso é uma ótima opção para a validade curta do produto industrializado.

Caso vá viajar e encontre o produto em pó, aproveite e encha a mala!

Já para conservar o produto fresco, sempre o mantenha em um recipiente fechado, dentro da geladeira e respeite a data de validade de até 15 dias, no caso de produtos industrializados e, para produtos caseiros, de 2 a 3 dias. Para o produto congelado, até 3 meses. É comum que o buttermilk apresente duas fases separadas quando mantido na geladeira ou após descongelado, basta agita-lo antes do uso e então aproveitar todas as suas qualidades!