O morango (Fragaria x ananassa) mais conhecido no mundo é uma planta híbrida que surgiu naturalmente na França, durante o século XVIII, resultante das espécies silvestres Fragaria virginiana e Fragaria chiloensis (nativa do Chile). Graças ao tamanho de seus frutos e da produtividade da planta, este híbrido se tornou o morango mais cultivado do mundo!

Embora seja uma fruta bem comum ao brasileiro, o morango só deu as caras por aqui por volta de 1960, expandindo-se por regiões do Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Resultado do crescimento do tecido do receptáculo que contém os ovários da flor o morango é considerado um pseudofruto, assim como a pera, a maçã, o caju, abacaxi, figo, amora, framboesa etc.  Os reais frutos de um morango são as chamadas “sementes do morango”, um tipo de fruto seco (aquênio) – cada flor possui muitos ovários e cada um gera, quando fertilizado, um aquênio, ou uma “sementinha”.

O morangueiro cresce bem em diversas faixas de temperatura – alguns podem ser cultivados em regiões bem quentes, mas sendo sempre necessário um período de baixas temperaturas para frutificação – dias ensolarados e noites frias são perfeitas para a produção de melhores morangos, necessitando de luz solar direta pelos menos por algumas horas por dia.  Por conta disso o morango também se expandiu para outras regiões do Brasil como Goiás, Santa Catarina, Distrito Federal e Paraná. Possui vida curta (cerca de 5 anos), atingindo cerca de 10 a 30cm de altura e dele, utiliza-se tudo: desde as folhas jovens aos frutos e flores; especialmente para fins medicinais.

Existem dois tipos de morangueiros: os remontantes (crescem continuamente entre junho e outubro) e os não-remontantes (produzem morangos apenas uma vez por ano, entre abril e junho). Os primeiros devem ser plantados na primavera e os segundos no final do verão, preferencialmente em agosto/setembro.

Para sua plantação em canteiros é preciso ou cobrir o solo com uma cobertura morta ou com um plástico opaco, para evitar o surgimento de plantas invasoras e impedir o contato dos morangos com o solo – o que faz com que o fruto apodreça ou entre em contato com insetos e parasitas. Segundo estudos, morangos cultivados com cobertura morta apresentam alta concentração de açúcar, flavonoides e antocianinas quando comparados aos morangos cultivados com o plástico preto.

Procurar morangos perfeitos não é fácil, tudo dependerá do solo, das horas de Sol direto que o morango recebe por dia – aumentando a concentração de açúcar e favorecendo a maturação natural. Logo, para colher os melhores e os mais saborosos dos morangos, as suas plantas necessitam de muito sol direto, no mínimo 6 horas diárias e solo bem irrigado – mas nunca encharcado!

Consequentemente cada produtor vai ter um tipo de morango, com um sabor e uma característica diferente, especialmente se forem morangos produzidos por sementes, que sempre geram variedades diferentes das plantas progenitoras; geralmente as mudas são obtidas dos estolhos das plantas. Isso tudo torna a busca pelo morango ideal muito mais interessante e a produção de sobremesas algo extremamente exclusivo, já que uma torta ou geleia de morango nunca será igual à outra!

A dica é: visite seu produtor, converse com ele, observe a plantação e teste as diferentes variedades e colheitas que ele produz! Você vai se surpreender ao descobrir que não existe um morango igual ao outro!

A dica cultural é assistir ao filme sueco Morangos Silvestres de 1957 – não, não tem nada a ver com morangos – a não ser pelo título que refere-se ao lugar (stället) onde se encontram morangos silvestres (smultron)… mas é incrível!

Receitas com morango? Confira o bolo Merengue de Morango em nosso canal no You Tube: