Pular para o conteúdo
Início » Bolo Gelado de Tapioca “Bolo podre Paraense”

Bolo Gelado de Tapioca “Bolo podre Paraense”

Compartilhe ; )

Cuscuz de tapioca, bolo de tapioca gelado ou, como é mais conhecido, bolo podre paraense, típico das festas juninas esse bolo, que quase não é um bolo, é úmido, cremoso e precisa, obrigatoriamente, ser feito com o leite de coco artesanal!

  • Serve: 6 pessoas
    Rendimento: 6 forminhas de muffin de 6,5 x 6 cm
    Tempo de preparo: rápido
    Validade: 5 dias

Ingredientes

  • 2 xícaras (chá) / 80g farinha de tapioca
  • 1 xícara (chá) / 80g coco fresco ralado (ou o bagaço do coco após extraído o leite)
  • 1 ½ xícara (chá) / 360mL leite integral
  • 1 xícara (chá) / 240mL leite de coco artesanal
  • ½ colher (chá) / 2g sal
  • 1 lata / 395g leite condensado
  • Coco em flocos, para decorar
bolo gelado de tapioca muito cremoso

Modo de preparo

  • Em uma tigela misture a farinha de tapioca com o coco ralado.
  • Coloque essa misture em 6 forminhas para muffin, reserve.
  • Em uma panela junte o leite integral, o leite de coco, sal e leite condensado, leve ao fogo médio até iniciar fervura, desligue.
  • Verta o líquido nas forminhas até a altura da mistura, deixe descansar 20 minutos em temperatura ambiente.
  • Leve à geladeira por 3 horas e então desenforme.
  • Cubra com coco em flocos e sirva a seguir.

Dicas

Como a maioria das receitas tradicionais brasileiras, o maior segredo não está no modo de preparo, e sim na intimidade com o doce, apesar da receita de Bolo Podre ser fácil, afinal basta misturar tudo e colocar em uma fôrma, ela pode sair completamente errada se alguns “segredinhos” não forem levados em conta!

O primeiro segredinho da receita é não errar no ingrediente principal: a farinha de tapioca! Existem vários tipos de farinhas espalhadas pelo Brasil, algumas são bem duras e não servem para esse preparo, e não, não é a goma de tapioca! A farinha de tapioca granulada parece um floquinho de isopor, pode ser comida pura, sem hidratar, acompanhando o açaí, quem é de Belém sabe bem do que estou falando!

O segundo segredinho está no momento de verter a mistura de leites sobre a tapioca, se você quiser ser generosa/o e cobrir com muito líquido, seu bolo vai ficar mole, é preciso seguir a receita e cobrir até a altura da mistura de farinha de tapioca com o coco, aqui infelizmente não tem como passar uma medida muito precisa… É no olho mesmo!

O terceiro segredo está no coco e no leite de coco utilizado. Compre o coco seco, quebre a casca, tire a pele e faça seu próprio leite de coco, uma receita tão rápida e fácil merece um pouquinho mais de cuidado, acredite, o resultado é incrivelmente melhor!  

A mesma versão da receita pode ser encontrada com o nome de cuscuz baiano, cuscuz carioca, cuscuz de tapioca com coco… Cuscuz? Mas é o de milho? Difícil saber quem veio primeiro! Ainda no Piauí, Maranhão e adjacências existe o Bolo podre salgado, assado, feito com tapioca, leite e ovos.

Quem for muito formiguinha e quiser, pode acompanhar o bolo com leite condensado, calda de caramelo, ameixa em calda, polvilhar com canela em pó e por que não com creme inglês?

bolo gelado de tapioca cortado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *